O banco de dados do site MinhaSenha.com acaba de ser abastecido, após o recente vazamento de 1,4 bilhões de logins, senhas e carteiras de Bitcoin. Os dados foram divulgados na Dark Web e na Deep Web, contendo 41 Gb de informações, como nomes de usuários, e-mails e combinações de senhas.

O MinhaSenha.com permite que os usuários descubram se suas senhas, geralmente utilizadas em contas de e-mail, e-commerce, portais e apps, vazaram na internet. No último ano, bilhões de dados foram vazados, e os brasileiros representaram 5% dos usuários atingidos. A facilidade que os hackers têm para vazar dados é alarmante, e o compartilhamento dessas informações causa transtornos não apenas para os usuários, mas também para as empresas atingidas.

O vazamento mais recente atingiu credenciais de Bitcoin, do Pastebin, das redes sociais LinkedIn e MySpace, de plataformas online como Netflix, Youporn, Last.FM e Badoo, e de jogos online como Minecraft e RuneScape. A notícia serve como alerta para os usuários que possuem contas nesses sites e demonstra a vulnerabilidade do compartilhamento de dados pessoais, reforçando a importância de se proteger as senhas.

Uma informação alarmante sobre esse vazamento é que nenhuma senha estava criptografada, demonstrando a falta de segurança básica de algumas plataformas que, teoricamente, deveriam ser seguras. Por outro lado, as senhas mais usadas foram as clássicas “123456”, “123456789”, “qwerty,” e “111111”, evidenciando que os próprios usuários precisam ser mais conscientes sobre sua segurança pessoal.

Para se proteger de ataques, verifique, em MinhaSenha.com, se suas senhas foram vazadas. Se for o caso, altere-as imediatamente, em todas as plataformas em que são utilizadas. Depois disso, adote medidas de segurança preventivas, como desenvolver senhas complexas e evitar o uso da mesma senha para serviços diferentes. Recomenda-se, ainda, o uso de gerenciadores de senha, que proporcionam uma camada extra de segurança na internet.