Brand Abuse

Presença Digital: estão se passando por você na web

Por Rodrigo Dutra em
COMPARTILHAR

Há quem pense que segurança digital se limita apenas em proteger computadores, máquinas e arquivos digitais que estão em posse de sua empresa. Ledo engano, o conceito é muito mais abrangente do que isso e engloba até mesmo companhias cuja área de atuação não esteja relacionada a internet. Um conceito muito ignorado, porém criticamente importante para a competitividade de qualquer marca nos tempos atuais, é o da presença digital — ou, ainda melhor, como defendê-la.

Para entendermos o que é a presença digital é preciso lembrar que a jornada do consumidor mudou. Antes, o cidadão comum via o anúncio de um produto na TV (momento conhecido como “estímulo”), interessava-se por ele, ia à loja e conhecia suas características com um vendedor treinado. Esse segundo ponto de contato é conhecido como “primeiro momento da verdade”. Satisfeito com a demonstração na gôndola, o cliente adquire o item e tem a experiência de uso, que é o “segundo momento da verdade”.

Agora, porém, temos uma nova etapa no meio desta jornada — mais especificamente entre o estímulo e a prateleira. Hoje, o cidadão utiliza a internet para pesquisar aquele modelo específico, lê análises em sites jornalísticos, confere reclamações em páginas especializadas e usa as redes sociais para conferir as opiniões de outros consumidores a respeito daquele produto, marca ou serviço. De acordo com uma recente pesquisa do Serviço de Proteção de Crédito (SPC Brasil), nove em cada dez brasileiros realizam pesquisas online antes de adquirir um item em lojas físicas.

Sabendo disso, criminosos e estelionatários tentam interromper e se apropriar do cliente ao longo dessa jornada, desviando ele através de propagandas, domínios e páginas falsas, além de mensagens por email ou SMS.

 

Ruídos e riscos na jornada do consumidor digital

Poucas empresas conseguem avaliar a extensão da sua presença digital e o seu footprint ao longo do tempo. O não controle sob esse espectro pode gerar ruídos e atrapalhar a jornada do consumidor que deseja se relacionar com a empresa por touchpoints digitais.

Vamos imaginar, por exemplo, que o internauta sente a necessidade por um produto ou serviço e resolve buscar uma marca e modelo que o atenda, mesmo sem nenhum estímulo prévio. Nesse momento, alguns ruídos que podem surgir incluem:

  • Domínios similares, que usam typos da marca original e tentam desviar o consumidor para produtos concorrentes em motores de busca. Nem sempre o primeiro resultado da busca é a página oficial;
  • Anúncios fraudulentos que utilizam indevidamente sua marca como palavra-chave para desviar potenciais clientes para sites de captura de lead ou concorrentes;
  • Perfis falsos em redes sociais, que oferecem uma comunicação descaracterizada e passam uma mensagem incorreta ao cliente;
  • Emails abusivos, que podem ser enviados por terceiros como spam e criam uma imagem negativa de sua companhia. Em alguns casos, eles poluem tanto o canal que mesmo os emails oficiais de determinada empresa passam a ser taxados como spam ainda que não sejam. Isso acontece muito com empresas que usam programas afiliados e estes não respeitam o código de uso da marca;
  • A existência de endereços falsos no Google Maps, o que impacta nas milhões de pessoas que usam apps de navegação para chegar nos locais. O cliente pode estar buscando um endereço de uma marca e aterrissar no endereço físico de um concorrente.

Para se ter uma ideia, segundo o Relatório de Transparência do Facebook, a rede social eliminou nada menos do que 583 milhões de páginas e perfis falsos só ao longo do primeiro trimestre de 2018 — um número levemente menor em comparação com o último trimestre do ano passado, mas ainda assim assustador.

 

Não importa o tamanho da sua empresa , mas sim a importância da internet na sua estratégia de negócio

O que você precisa entender é que a sua presença digital vai além dos canais que você oficialmente controla. Talvez sua empresa tenha apenas um site simples, mas alguém pode ter criado um aplicativo malicioso adotando sua identidade visual para lesar internautas, ou pode estar tentando capturar o seu valor de marca associando seu site a sua empresa indevidamente. . Da mesma forma, cupons falsos, campanhas de phishing e discrepância de preços em canais distintos de venda também afetam sua estratégia de marketing e podem gerar desconfiança no cliente, que acaba optando pelo seu concorrente.

Mesmo pequenas e médias empresas locais, que não desejam estar ativamente na web, podem sofrer com tais ruídos. Dos mais de 4 bilhões de internautas que temos ao redor do mundo, 3,1 bilhões são usuários ativos de redes sociais. Mesmo que você queira se manter longe das redes, dificilmente conseguirá, pois alguém criará um perfil por você — logo, é necessário estar no controle sobre esse ponto de contato digital.

Em suma, proteger sua presença digital é monitorar todas as “pegadas” de sua marca na internet, garantindo que não existam ruídos ou ameaças para o seu público-alvo, que possam desviá-lo durante a jornada de compra. Isso inclui desde cuidados com a apresentação inicial da sua companhia até a fidelização do consumidor, garantindo que seus dados estejam devidamente protegidos contra vazamentos. Lembre-se: com a sanção da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), garantir a segurança de informações sensíveis agora é uma obrigação corporativa.

presenca-digital-riscos

Compartilhe o infográfico no seu site

Monitorando e reagindo proativamente

A plataforma Axur One  é composta por uma série de soluções que monitoram, analisam e reagem o mais rápido possível a eventuais ruídos que possam comprometer sua marca no ambiente virtual — incluindo páginas de phishing, malwares, uso indevido de marca, partner compliance, apps falsos e pirataria.

Hoje, utilizando a força da inteligência artificial, protegemos a presença digital de 126 marcas dos mais variados segmentos (bancos, fintechs, seguros, saúde, games, varejo, e-commerce, aviação comercial, vestuaria e indústria), removendo uma média de 12,3 mil incidentes por mês e 150 mil por ano.

Temos seis módulos diferentes que podem ser contratados no modelo SaaS (software-as-a-service), individualmente ou em conjunto, de acordo com as suas necessidades. Quer saber mais ou está em dúvida sobre o melhor plano para o seu negócio? Entre em contato conosco e peça uma demonstração!
event-image

ESPECIALISTA CONVIDADO

Eduardo Schultze, Coordenador do CSIRT da Axur, formado em Segurança da Informação pela UNISINOS – Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Trabalha desde 2010 com fraudes envolvendo o mercado brasileiro, principalmente Phishing e Malware

AUTOR

Rodrigo Dutra

Profissional de marketing holístico formado em comunicação pela ESPM e Administração pelo Insper. Sou guiado pela curiosidade e não tenho medo de sujar as mãos. Estou fazendo meu melhor trabalho quando junto criatividade e estratégia.

Posts relacionados