Brand Abuse, Digital Fraud, Information Leakage, Sales Abuse, Threat Intelligence

A importância de Digital Risk Protection no gerenciamento de riscos

Por André Luiz R. Silva em
COMPARTILHAR

Você sabe o que é Digital Risk Protection? Se o seu trabalho envolve gerenciamento de riscos, é provável que já tenha ouvido ou irá ouvir falar sobre esse segmento da segurança digital. Mas, se não faz ideia do que é isso ou da importância dessa crescente área, aqui está a oportunidade perfeita! Vejamos:

 

Monitoramento e reação a riscos digitais


Essa é a dúvida, afinal de contas. Digital Risk Protection (DRP), traduzindo, significa proteção contra riscos digitais. E, na hora de falar em segurança, não se confunda: essa parte não tem muito a ver com proteções como as de antivírus e firewall.

Digital Risk Protection é monitorar e reagir a tudo o que se fala sobre sua(s) marca(s) na internet – e isso pode incluir, ainda, a deep e dark web. Ou seja: tudo aquilo que acontece fora do perímetro da empresa e que, à primeira vista, pode ser incontrolável.

As origens das ações e problemas de falta de segurança podem ser as mais diversas (mau planejamento, funcionários desatentos, clientes sem conhecimento…) e podem ocorrer nas mais variadas formas (phishings, vazamentos de dados, estelionatos, perfis falsos e tantos outros crimes on-line). Mas o que importa, primeiro, é não se assustar com o tamanho da internet: por isso, o gerenciamento de riscos precisa tomar atitudes ponderadas na hora de planejar todo o monitoramento.

 

Por que o DRP é importante para o gerenciamento de riscos das empresas?


Para além de uma melhor navegação de inúmeras pessoas na internet, o trabalho de três principais áreas de uma empresa pode ser beneficiado com o Digital Risk Protection:


Segurança da Informação (SI)

É o mais óbvio: essa é a área responsável por cuidar para que as informações sensíveis de clientes e funcionários fiquem protegidas ao máximo. Esse é o caso do Data Protection Officer, uma nova função que surge na esteira de responsabilidades impostas pelo governo como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Esses profissionais, entretanto, acabam muitas vezes recebendo uma sobrecarga de responsabilidades – e podem até correr o risco de desenvolver a síndrome de burnout. Nesse setor, além de melhorar a divisão dos trabalhos e remover estresses (e ameaças - ba dum tss!), ferramentas como as de DRP podem também servir de motor para especialização e eficiência.


Marketing

É a parte que vai se preocupar com a visão da empresa pelos consumidores, por isso, é quem se atém principalmente às questões de proteção de marca – ou o chamado campo de Brand Protection. Por ser focado em desenvolver leads e gerar engajamento com a marca, esse é o setor que também precisa se preocupar em mostrar confiança e boa reputação na hora de trabalhar a presença digital.


Compliance

É um setor que precisa se preocupar com tudo. Tudo mesmo. Por isso, é quem deve ter muita parceria com os outros setores. É aqui que nasce o gerenciamento de riscos (ou, se preferir, gestão de riscos): uma visão completa de todos os possíveis prejuízos a uma marca, tanto cibernéticos quanto físicos, operacionais, regulatórios, financeiros… O compliance digital é, por isso, muito beneficiado pelo Digital Risk Protection na hora em que é necessário um bom monitoramento – e reação, claro.

 

Quem faz Digital Risk Protection?


Existem algumas empresas dedicadas ao setor no mundo todo – e o mercado mostra já estar de olho nelas. A Forrester, empresa norte-americana dedicada a pesquisas de mercado e tecnologia em âmbito global, lançou agora o relatório The Digital Risk Protection Market in 2019. Nele, é possível visualizar dados sobre como está sendo o crescimento mundial do mercado de DRP e porque empresas têm (ou deveriam ter) a preocupação em utilizar esses serviços e produtos.

A Axur fez contribuição no relatório da Forrester – na América Latina, somos líderes em monitoramento e reação a riscos digitais. Por meio da nossa plataforma Axur One e de produtos como o Hashcast e o Cardcast, utilizamos a ajuda de alguns robôs para que você possa visualizar tudo o que monitoramos na imensidão da internet (e da deep e dark web também!). Assim, com poucos e intuitivos cliques, é possível solicitar a remoção de qualquer conteúdo que afete a reputação da sua marca.
event-image

ESPECIALISTA CONVIDADO

Eduardo Schultze, Coordenador do CSIRT da Axur, formado em Segurança da Informação pela UNISINOS – Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Trabalha desde 2010 com fraudes envolvendo o mercado brasileiro, principalmente Phishing e Malware

AUTOR

André Luiz R. Silva

Estudante de Jornalismo na UFRGS e Content Creator da Axur, responsável pelo Deep Space e atividades de imprensa. Por aqui, também já analisei muitos dados e fraudes como membro da equipe de Brand Protection. Em resumo: trabalhar com tecnologia, informação e conhecimento em conjunto é um dos meus maiores amores!